Comendo com os olhos
Sexta, 02 de Junho de 2017

Quando eu era pequeno minha mãe de vez em quando brigava comigo por eu encher demais o meu prato. Principalmente se tinha batata frita. Como sou o irmão do meio (tenho um irmão mais velho e uma mais nova, com pouca diferença de idade) acabava tentando garantir o meu pedaço. Minha mãe, então, brigava comigo por eu “comer com os olhos”. E é isso que a torcida do Grêmio está fazendo agora: com o ótimo futebol apresentado pelo time titular do tricolor, os gremistas querem tudo: Brasileirão, Copa do Brasil, Libertadores e Mundial. O problema de comer com os olhos no futebol é você encher o prato e acabar sem nada. Então, surge a diferença entre os profissionais que trabalham nos clubes e o torcedor: o Renato priorizou a Copa do Brasil e a Libertadores. Essas escolhas podem ser questionadas, mas são necessárias. Admite-se que o torcedor coma com os olhos, mas não os profissionais do futebol.

Jogando da forma como venceu o Botafogo, Atlético-PR e Fluminense, o Grêmio desponta como favorito ao título da Copa do Brasil e é um dos favoritos na Libertadores. E, como largou bem no Brasileirão, muito gremista cobra que o time sempre entre em campo com os titulares, pois não tem nenhum bicho-papão na competição em 2017. Particularmente, sou favorável à utilização de um time misto, e não completamente reserva. Mas faço essa afirmação com a mesma visão do torcedor: a de ter a perspectiva de título em tantos campeonatos importantes e querer abocanhar tudo de uma vez. Ainda bem que torcedor não é treinador.

Inter – O Inter jogou bem (ou o Palmeiras que jogou mal?), saiu aplaudido, resgatou o orgulho dos torcedores, mas o fato é que agora sobrou apenas a Série B e a Primeira Liga para os colorados. Vencer a segunda divisão é obrigação. E, com o sucesso do rival nas outras competições, os colorados torcem para que dezembro chegue logo. Um bom final de semana a todos.

Comentários