Doenças do aparelho digestivo em idosos: alteração da deglutição e dificuldades para engolir
Quinta, 12 de Outubro de 2017

A passagem do alimento da boca ao estômago é feito em três fases. A fase preparatória realizada na boca, a fase orofaríngea, que é a passagem do alimento até o início do esôfago, e a parte esofágica, que é o transporte do alimento através do esôfago ao estômago.

A fase preparatória é feita na boca e consiste na mastigação adequada e na mistura do alimento com a saliva. Esta fase costuma ser complicada no idoso, pois frequentemente os dentes são mal conservados, dificultando a mastigação, e o idoso costuma produzir menos saliva que o normal. Por outro lado, diversos medicamentos como diuréticos e antiespasmódicos podem reduzir a salivação, dificultando ainda mais o processo. Tumores de boca, de língua, de gengiva podem também ser a causa do problema, mas felizmente são pouco frequentes.

A segunda fase é a passagem do alimento da boca para o esôfago envolvendo a faringe. Esta função normalmente está preservada nos idosos e seu comprometimento indica uma doença. O problema pode ser local, como tumores, inflamações ou infecções, ou pode estar localizado em outras partes do organismo. Derrames cerebrais, doença de parkinson, neuropatias, diabete, alzheimer podem causar este distúrbio. Muitos medicamentos também podem ser responsáveis pela dificuldade.

Sempre que houver esta disfunção se faz necessário ir logo ao médico, pois a persistência do problema facilita a passagem de alimentos e líquidos para o pulmão causando bronquites e pneumonias que podem ser graves e às vezes fatais. Nestas duas situações, o médico a ser procurado é um otorrinolaringologista. Este identificará a causa e, se necessitar, enviará para outro especialista.

A terceira fase é a que leva o alimento da faringe ao estômago através do esôfago. No geral, à medida que as pessoas envelhecem torna-se mais difícil esta passagem; 30% dos idosos examinados em albergues apresentam dificuldades maiores ou menores. Deve-se ao envelhecimento do esôfago e a um enfraquecimento dos músculos, que perdem parcialmente seu poder de propulsão. Existe até uma entidade clínica, não reconhecida por todos especialistas, que se chama presbiesôfago (esôfago de velho) que se caracteriza por uma redução da força pulsátil da musculatura esofágica. Por este motivo todos os idosos não devem ingerir alimentos sólidos ou medicamentos em comprimidos ou cápsula sem antes deglutirem dois goles de líquido em preparação para o recebimento do alimento. Ingerir de maneira abrupta sólidos ou comprimidos pode determinar uma certa dificuldade para a passagem dos mesmos, levando a pessoa a ter por alguns minutos a sensação de que o alimento ou o comprimido ficou parado no esôfago.

Comentários